Práticas espaciais. Do espaço dito “imersivo” ao circundante, ou a Instalação na experiência estética e no despertar crítico e político do público

Resumo: A pesquisa busca a partir da reflexão teórico-crítica uma concepção de Instalação como um espaço (in situ) da experiência estética e do despertar crítico e político do público. Sabemos que, pela primeira vez, nos anos 1960, a Instalação é assumida como um dado constitutivo do trabalho de arte. Dar à Instalação uma definição prévia é quase impossível. Pelo menos tomando como critério a multiplicidade de convergência das várias dimensões históricas e críticas que a tangenciam. Assim, a pesquisa visa responder a algumas questões que tangenciam o processo da Instalação em seu hibridismo que cruza artes plásticas, arquitetura, “teatralidade” e espaço imersivo. Para tanto, serão utilizados textos considerados chaves e “estudos de caso” de artistas que atuam no campo deste assunto. A metodologia partirá de uma concepção do terreno artístico como campo prático-teórico, ou seja, suas fontes serão trabalhos de arte e material bibliográfico que atravessem o tema.

Data de início: 2016-08-01
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado André Nascimento Arçari
Coordenador Angela Maria Grando Bezerra
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910