O LABORATÓRIO DE ARTE E SUAS ARTICULAÇÕES DO MUNDO: Práticas artísticas, ecologia, modernização e o alcance das suas redes na desembocadura do Rio Doce, Brasil

Nome: Diego Mauricio Contreras Novoa
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 23/08/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Aparecido Jose Cirilo Orientador
David Ruiz Torres Co-orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Aparecido Jose Cirilo Orientador
David Ruiz Torres Coorientador
Raquel de Oliveira Pedro Garbelotti Examinador Interno
Susana Barrera Lobatón Examinador Externo

Resumo: Aborda-se o laboratório de arte como espaço que possibilita questionar de maneira ampla as relações, contradições e alcance das redes que conectam ciência, natureza, ecologia e paisagem nos lugares contaminados pela modernização. Assim, mediante o agenciamento de um laboratório de paisagem, Landart-Lab (2016-2018), tanto na Foz do Rio Doce em Regência, Estado do Espírito Santo, Brasil, como em alguns circuitos artísticos brasileiros, são descritas as inscrições da paisagem e suas transformações após do crime catástrofe ocorrido em novembro do ano 2015, pela ruptura duma barragem de rejeito mineiro responsabilidade da empresa Samarco Mineração S.A.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910