Textos, imagens e corporalidades: abstração e literalidade nos processos de formação das linguagens da arte

Resumo: Com a crise do quadro teórico da modernidade, que definia a partir da realidade dos meios artísticos – pintura, escultura, desenho, gravura - as possibilidades a que a prática em arte deveria se ater, ampliou-se de forma inédita o campo de ação dos artistas e de experimentação com novas linguagens, técnicas e materiais. Nesta nova situação, as especificidades relativas a estes aspectos se relativizavam a ponto de, no limite, todo e qualquer material poder ser utilizado como próprio à arte, enquanto literalmente qualquer procedimento técnico disponível tornava-se passível de incorporação ao campo da arte. Neste horizonte de perspectivas, portanto, deixava de haver técnicas ou materiais “artísticos”, e se os materiais outrora ditos “nobres” vinculados à prática da pintura, da escultura não deixavam de ocupar um espaço de sobrevivência, isto se dava em função da capacidade destas categorias de defender sua própria razão de continuar a ser consideradas como parte da arte frente à enxurrada de novas possibilidades que se apresentavam. A pesquisa investigará os processos pelos quais, no limite, tais tendências implicaram em uma radicalização dos processos de literalização, por um lado, e de abstração, no polo oposto, do trabalho de arte, a circular na economia de mútua influência entre os meios imagéticos, verbais e corporais, de acordo com suas definições e opções particulares.

Data de início: 2017-11-13
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Ricardo Mauricio Gonzaga
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910