A ampliação de limites na obra de Carlos Vergara.

Nome: Iris Maria Negrini Ferreira
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 01/10/2012
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Angela Maria Grando Bezerra Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Almerinda da Silva Lopes Examinador Interno
Angela Maria Grando Bezerra Orientador
Maria Luisa Luz Távora Examinador Externo

Resumo: Esta dissertação de mestrado tem como objeto de investigação a obra de Carlos Vergara, com enfoque em trabalhos realizados na década de 1960: Happening G4, Berço Esplêndido, Brinquedo (Objetos-Módulos), Empilhamentos; além de trabalhos dos anos 1990 e 2000, tais comoCapela do Morumbi, Farmácia Baldia e Feira de Adivinhações. A partir dessas obras, será discutido como o artista direcionou sua produção para além do meio pictórico em diferentes momentos da sua trajetória, sobre o impulso que presidiu suas operações no eixo do vanguardismo brasileiro, passando da experiência visual pura ao experimental e às proposições comportamentais que engendraram uma arte com o intuito de ser vivenciada pelo público, ou mesmo constituída pela participação dele.Fez-se, assim, a reflexão sobre o caráter expandido na obra do artista desde o início da sua trajetória, na década de 1960 à atualidade de seu processo criativo. Pretendeu-se, assim, refletir sobre as transformações que desencadeava a ampliação de limites.

Palavras-chave: Carlos Vergara; Arte brasileira pós-moderna; participação.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910