VIDEOGAME E ARTE: POSSIBILIDADES ARTÍSTICAS PRESENTES
NO JOGO DIGITAL PASSAGE

Nome: Ana Elisa Pereira Poubel
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 21/10/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Aparecido Jose Cirilo Co-orientador
David Ruiz Torres Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Aparecido Jose Cirilo Examinador Interno
David Ruiz Torres Orientador
Hugo Cristo SantAnna Examinador Externo

Resumo: No setor independente da indústria de jogos - popularmente conhecido como indie -, há na atualidade muitas produções com intenções artísticas, diferente do que acontecia no passado, quando jogos tinham apenas a função de entretenimento. Neles é nítido perceber que o jogo em si - ou seu criador - quer transmitir ideias que vão além do discurso óbvio e sensações antes não previstas. Neste ponto surgiu a hipótese desta pesquisa: é possível explorar a jogabilidade dos jogos digitais como um campo de expressão e possibilidades artísticas? Afim de intentar responder a esta questão, neste trabalho apresenta-se uma breve revisão do potencial artístico de Passage - em
português “Passagem”-, jogo digital criado pelo designer de jogos Jason Rohrer, em 2007, disponível para plataformas Windows, MacOs e Linux. Sendo este um jogo e, portanto, inserido em um sistema de jogo formal, é importante pensar em como (ou quando) um jogo pode ser arte. Para tanto, serão abordados conceitos de jogabilidade e arte, além de breve descrição do jogo.
Palavras-chave: jogos digitais; arte; jogabilidade; interatividade.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910