TERRITORIALIDADES E VISIBILIDADES EXPANDIDAS: outras relações na linguagem da escultura em Angola

Nome: Manuel Benvindo Soluelo
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 14/12/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Alexandre Emerick Neves Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Aissa Afonso Guimarães Examinador Interno
Alexandre Emerick Neves Orientador
Jurema José de Oliveira Examinador Externo

Resumo: Assente na arte dos africanos, esse estudo propõe uma reflexão sobre escultura tradicional e contemporânea a partir de desdobramentos estéticos contemplados em trabalhos de alguns artistas da contemporaneidade africana. Busca desenvolver uma compreensão sensível e crítica a respeito de novas abordagens na linguagem da escultura em Angola, em particular os trabalhos do escultor angolano Pedro Pires (1978, Luanda). Procura com esses trabalhos identificar questões e/ou aspectos que permitam dialogar na discussão da escultura, apoiando-se em “determinados aspectos” apresentados em textos da historiadora e crítica de Arte Rosalind Krauss. Nesses textos a autora apresenta uma instigante crítica, demonstrando como a linguagem da escultura da segunda metade do século XX havia se expandido, abrangendo novas formas de representação do objeto, obra, espaço e espectador – rompendo com os preceitos da tradicional arte da escultura. Em vista disso, nas últimas décadas vários artistas angolanos e/ou africanos têm se dedicado a múltiplas pesquisas desenvolvendo novos diálogos, novas poéticas de criação de escultura, valorizando cada vez mais a liberdade de criação do artista, sua relação com a obra, espaço e a “sociedade” participadora. Suas produções refletem uma ruptura com o tradicionalismo da escultura dando abertura para novas possibilidades de pensar e fazer escultura. Por outro lado, vale ressaltar que essa pesquisa busca igualmente contribuir de alguma forma na divulgação e visibilidade da produção artística de autores africanos e não só, visa suplementar lacunas com relação às questões intrínsecas a temática proposta. Por fim, a pesquisa constitui, nesse sentido, um contributo no cumprimento da Lei Federal 10.639/03 e 11645/08 que decreta o ensino da história e cultura afro-brasileira, da história da África e dos africanos. Palavras chaves: África, Angola, Arte, Escultura, Territorialidades e Visibilidades. (Versão provisória)

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910