CAXAMBU DO HORIZONTE A ANDORINHA: MEMÓRIA E PERTENCIMENTO DA CULTURA NEGRA

Nome: Jacyara Conceição Rosa Mardgan
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 31/07/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Aissa Afonso Guimaraes Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Aissa Afonso Guimaraes Orientador
Gaspar Leal Paz Examinador Interno
Patrícia Gomes Rufino Andrade Examinador Externo

Resumo: A pesquisa que segue, tem por objetivo analisar os processos de pertencimento e memória na construção da prática cultural de tradição afro-brasileira caxambu, que se arvoreia pelo estado do Espírito Santo e deixa sua marca na região sul capixaba, território dos grupos caxambu do Horizonte e Andorinha, sujeitos dessa dissertação. Ao observar a prática da tradição cultural a partir das narrativas e vivências dos grupos, a presente dissertação aponta o caxambu como elemento fundamental no pertencimento desses sujeitos, onde a manutenção cultural e o processo de salvaguarda do caxambu perpassam pelo reconhecimento da tradição como elemento de reinserção sociocultural e afirmação dos elementos constituintes da cultura negra na região. Ao abordar os conceitos de memória coletiva e territorialidade a pesquisa de base etnográfica em uma abordagem relacional, investiga a hipótese dos grupos constituírem-se de uma mesma “origem” - Fazenda do Horizonte, lugar identificado pela pesquisa como demarcador de memórias e ponto de ligação simbólica na formação dos grupos. Tal origem singular é sugerida pelos processos de desterritorialização e reterritorialização vividos pelas famílias que habitavam a “Fazenda do Horizonte” e que constituíam a tradição do caxambu. Ao vivenciarem tais processos a tradição ganha nova significação, corporificada no grupo Caxambu do Horizonte e abre caminho para uma nova territorialização, aqui identificada pelo grupo caxambu de Andorinha. Tais grupos se articulam na consolidação da tradição a partir do sentimento de unidade das comunidades na qual a prática do caxambu se apresenta. Por fim, a pesquisa ao enfocar as dimensões simbólicas que constituem os grupos de caxambu de “Horizonte” e “Andorinha”, a partir da prática e da personalização de suas ações, apresenta as estratégias de ação que os grupos estabelecem para manter viva a tradição caxambuzeira, compondo um novo olhar sobre a tradição cultural, constituindo-se como forma e espaço de resistência, luta e organização da cultura afro-brasileira na região.
Palavra chave: Caxambu. Cultura. Salvaguarda. Território.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910