Fayga Ostrower: quando a arte toca a teoria e a teoria toca a arte

Nome: Claudia Botelho
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 04/11/2016
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Almerinda da Silva Lopes Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Almerinda da Silva Lopes Orientador
Emerson Dionisio Gomes de Oliveira Examinador Externo
Gaspar Leal Paz Examinador Interno

Resumo: Esta dissertação apresenta o trabalho de Fayga Ostrower como artista e teórica, buscando conhecer o sua produção gráfica abstrata e aproximando disso sua visão a respeito da arte. Dessa forma, o texto tem como objetivo investigar as possíveis relações ou contradições que possam existir entre suas atividades de artista e de teórica. Fayga Ostrower desenvolve sua obra plástica pela vertente da Arte Abstrata Informal/lírica, pautada na construção formal do espaço guiada pela subjetividade e unindo sentimento e razão. Seu trabalho colabora para a consolidação do modernismo na arte brasileira e suas reflexões abarcam a compreensão das formas artísticas, os processos de criação e a divulgação da arte. A artista se dedica à análise crítica e formal do objeto artístico, embasando-se pelas teorias da percepção- Gestalt. O conjunto de sua obra, plástica e teórica aponta para as preocupações com a linguagem visual e para a sua apreciação, buscando compreender os conteúdos concretos e vivenciais da produção da arte.
Palavras chaves: Gravura, Abstração Informal/lírica, Linguagem visual, Gestalt.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910